JUSTIFICATIVA: Por que SENSIBILIZAÇÃO PODAL?

 

              Desde 1983, estudo, com profundidade, a técnica de massagem denominada Reflexoterapia Podal, antes conhecida por Terapia Zonal. Os estudos foram motivados pela mais singela das emoções, a curiosidade. Queria saber como dores desapareciam, problemas de saúde melhoravam com uma “simples” massagem nos pés. Na busca desta resposta fui para Assución, no Paraguay, estudar com uma terapeuta canadense Margarida Goootaht que ministrava o curso de Reflexoterapia no Instituto Conaras daquela cidade. Depois estudei a Reflexoterapia praticada nos Estados Unidos, na Espanha e na Itália. Contudo, mesmo naquela época, algumas coisas me incomodavam. Todas as correntes de ensino apregoavam uma pretensa analogia da distribuição dos pontos representativos de órgãos nos pés com a imagem de uma pessoa. Em outras palavras, diziam que, com um pouco de imaginação e guardando as devidas proporções, se poderia ver refletida no pé a imagem do corpo humano, metade do corpo em cada pé.
 O problema é que os mapas não mostram isso. Muitos colocam o coração no pé esquerdo quando, qualquer estudante de anatomia sabe que ele está no centro devendo, portanto, aparecer metade em cada pé, respeitando a lateralidade. O esôfago e a traquéia apresentam o mesmo problema. Alguns mapas chegam a mostrar dois esôfagos e duas traquéias. Ora, se o esôfago e a traquéia estão na mesma linha sagital da coluna vertebral por que não colocar seus pontos representativos na mesma área?
 A sobreposição não seria problema, pois temos inúmeros órgãos sobrepostos. Outro exemplo clássico da incoerência está na localização do útero e da bexiga. No corpo da mulher eles estão sobrepostos, mas na maioria dos mapas não. Por quê?

             E a explicação das 10 Zonas Energéticas, cada uma atuando na área delimitada pelos 10 dedos dos pés e das mãos? Já foi difícil para o ocidente acreditar nos 14 meridianos da acupuntura. Como aceitar 10 zonas energéticas? Felizmente experiências recentes vêm trazendo luz sobre o assunto mostrando a interferência do Sistema Nervoso Periférico (SNP) e Sistema Nervoso Central (SNC).

             Outra questão que me perturbava era o motivo dos pontos representativos dos órgãos do corpo estarem nos pés. Por quê?

            O motivo mais sólido apresentado é o de estarem ali para serem sensibilizados quando caminhamos. Seria um mecanismo de "Manutenção Preventiva" (saiba mais lendo Princípios de Funcionamento). Contudo, segundo os mapas, muitos pontos representativos de órgãos não estavam nas partes plantares dos pés, alguns estavam no dorso e outros até mesmo subiam pelo tornozelo. Como seriam sensibilizados no simples ato de se caminhar? Todas estas perguntas necessitavam de uma resposta plausível, coerente que, se por enquanto não totalmente científica, pelo menos evitasse ao máximo o esoterismo, que tivesse uma lógica.

 Foi com este objetivo que, buscando respostas, procurando a coerência, coletando experimentos científicos e opiniões de estudiosos na área anatômica e fisiológica e após experimentar os resultados dos trabalhos, visando diferenciar os procedimentos que passaria a usar, optei por renomear a técnica para Sensibilização Podal. Importa salientar que a busca de respostas e a responsabilidade pelas mudanças foram compartilhada pelos meus educandos, hoje colegas, nos cursos ministrados pelo Brasil.


Obs. Alguns poderão objetar contra essa mudança usando o argumento de que seus tratamentos tradicionais funcionam. Devemos lembrar que todo Reflexoterapeuta tem por norma trabalhar o pé por inteiro. Sendo assim, mesmo pensando que determinada região representava um órgão ele, massageando todo o pé, acabará trabalhando a área correta.

Professor Rubens Balestro - DIFEP 1956-SS-POA-RS"Sensibilização Podal a 3ª Geração da Terapia pelos pés"

               Reflexoterapia Podal, que já foi conhecida como Zonoterapia ou Terapia Zonal, Massagem de Compressão, tem sua origem perdida no tempo. Há relatos de Chineses praticando formas de pressão para curas e, entre essas, encontravam-se algumas formas de Reflexoterapia Podal. No Egito, datados de 2330 AC, na planície de Saqqara, em uma pirâmide escalonada chamada de "Do Grande Sacerdote" ou "Pirâmide dos Degraus", encontram-se esculpidos, em baixo relevo, desenhos de egípcios praticando a chamada Reflexoterapia Podal e Quirodal.

 

                                                                        Foto - Watch Tower Bible and Tract Society


 

 

                                                           Foto da Revista Massage-Doc. International Institute of Reflexology.

                Dr. William Hope FitzGerald e seu livro ZONE THERAPY publicado com seu colega

Dr. Edwin F. Bowers MD



                                                                                                                                

                Sabe-se que métodos similares eram praticados na Índia e no Japão. Em 1582, um livro sobre "Terapia Zonal" foi publicado pelos médicos Dr. Adamus e Dr. A'tatis. Baseado nos princípios delineados no livro, no de autores anteriores e pela experiência obtida na Europa onde trocou conhecimentos, o Dr. William H. Fitzgerald (l872 - 1942), um otorrinolaringologista americano que inicialmente trabalhou no hospital Geral de Boston, desenvolveu seu próprio método de "Terapia Zonal" que foi publicado em 1917 com seu colega Dr. Edwin Bowers. O nome "Terapia Zonal" teve sua origem na crença que o Dr William Fitsgerald tinha de que o corpo encontravase dividido em 10 zonas energéticas.

               Mais tarde, na década de 30, uma enfermeira americana chamada Eunice Ingham (1889 - 1974) que exercia a profissão de Fisioterapia, publicou seu livro "O Método Ingham" de Massagem de Compressão.


 

Foi Eunice quem renomeou a "Terapia Zonal" para Reflexologia, tendo elaborado mapas das zonas reflexas dos pés. A teoria das Zonas Energéticas foi preservada. Eunice também publicou em 1938 o livro "Histórias Que os Pés Podem Contar" e mais tarde "Histórias Que os Pés Continuam a Contar".
 A sobreposição não seria problema, pois temos inúmeros órgãos sobrepostos. Outro exemplo clássico da incoerência está na localização do útero e da bexiga. No corpo da mulher eles estão sobrepostos, mas na maioria dos mapas não. Por quê?
 
Na década de 80 estudos clínicos no Canadá, mostraram que cerca de 73% das pessoas tratadas por esse método mostravam bons resultados.

" O Método Ingham" de Massagem de Compressão foi introduzido na Grã-Bretanha em 1960 por Doreen Bayly (1900 - 1979), discípula de Eunice.
Doreen também escreveu o livro "Reflexologia" O estímulo das forças saidáveis do organismo por meio da massagem nos pés.
 
 

 

                     Hoje, o conceito de que o corpo encontra-se dividido em 10 zonas energéticas e que a cura estaria no reequilíbrio desta energia perde força diante evidências científicas de que é o Sistema Nervoso (Periférico - SNP e Centrel -SNC) que está envolvido. Nesta nova concepção o SNP/Sensor ao ser sensibilizado, leva estímulos ao SNC desencadearia um mecanismo que chamaremos de “MANUTENÇÃO PREVENTIVA”, nutrindo e limpando a área representada nos pés e promovendo a cura. Este novo enfoque é reforçado por recentes experiências que mostram a relação entre uma sensibilização no pé e uma reação no córtex cerebral na região correspondente ao "reflexo". (Ver artigo sobre experiência realizada pelo físico coreano Zang-Hee Cho, da Universidade da Califórnia parcialmente publicado no Brasil pela Revista "Super Interessante", Ano 13 - nº. 2 / fevereiro de 1999, páginas 26 a 31.

Revista "Super Interessante", Ano 13 - nº. 2 / fevereiro de 1999


 Obs. O Dr. Cho estava querendo provar a eficácia da acupuntura e usou uma agulha na região representativa dos olhos em dedo do pé.


                  Citamos a experiência do Sr. Cho por estar entre as mais recentes, mas outros já haviam observado a interferência nervosa no tratamento reflexoterápico, como o Dr. William Lowe na sua obra "Introduction to Acupunture Anesthesia" 1973 onde nos diz que outra área Reflexa, a orelha, possui inervação abundante, obtida através dos nervos trigêmeos, facial e vago... Essas inervações, quando estimuladas por agulhas ou por pressão (massagem), sensibilizam regiões do Cérebro (tronco cerebral, córtex, cerebelo, etc). Resulta daí, uma estreita relação entre as áreas reflexas (pés, mãos e orelhas) e os SNP e SNC.
               Sendo assim a massagem reflexa carece de uma nova definição de seu mecanismo de atuação: Sensibilização Nervosa que poderá ser feita em áreas específicas do corpo como pés (podal), mãos (quirodal) ou orelhas (auricular) sensibilizando Terminais Nervosos (TN), não Terminais Energéticos (TE).

Princípios de Funcionamento
               A sensibilização dos folículos sensores de dor, tato, calor, frio ou pressão em áreas especiais do corpo como pés, mãos e orelhas, tem a propriedade de provocar, por meio do SNC , uma "Manutenção Preventiva" através de fenômenos físicos (ex: movimentos involuntários - peristálticos) e químicos (liberação de hormônios), na área que esses "terminais" representam. Chamaremos este procedimento de SENSIBILIZAÇÃO PODAL. Indicações e Contraindicações

              A Sensibilização Podal praticamente não apresenta contraindicações, apenas devemos dar atenção aos efeitos que um processo de "reequilíbrio" poderá ter sobre outros órgãos, por exemplo: Ao fazermos massagem na área que representa um Rim que tenha cálculos, o mesmo será "estimulado", pelo mecanismo de "Manutenção Preventiva", a expulsá-los. Isto poderá significar problemas para o Ureter, caso o cálculo tenha um diâmetro superior a 6 mm. Possivelmente a maior contra-indicação da Sensibilização Podal seja trabalhar uma área com sensibilização alterada sem o conhecimento do que possa estar envolvido. Percebe-se que, para a Sensibilização Podal ser eficiente, o terapeuta deverá possuir profundos conhecimentos anatômicos e fisiológicos.


           A Sensibilização Podal é uma excelente ferramenta para o tratamento de órgãos internos, os quais pouco ou nada conseguem beneficiar-se dos outros estilos de massagem.

Protocolo de atendimento

ü Ficha de anamnese;

 ü Assepsia; ü Aquecimento;

 ü Relaxamento;

 ü Trabalhar todos os sistemas; 

ü Interpretar o significado dos pontos que apresentarem sensibilidade alterada; 

ü Não encontrando inconvenientes (possíveis contraindicações) voltar aos pontos de maior sensibilidade (até passar a dor); 

ü Relaxamento final.
Resumo das diferenças entre a Reflexoterapia Podal e a Sensibilização Podal

Resumo das diferenças entre a Reflexoterapia Podal e a Sensibilização Podal: 

ü O corpo não encontra-se dividido em 10 Zonas Energéticas representada nos pés, uma zona para cada dedo, e sim os pés, pela sensibilização dos terminais nervosos plantares, enviam sinais nervosos para o SNC. 

ü O mecanismo de atuação não é o reequilíbrio Energético e sim uma "Manutenção Preventiva" desencadeada pelo SNC em benefício da região do corpo representada pela área massageada nos pés. 

ü A "Analogia" com o corpo humano encontra-se refletida na sua totalidade (O coração encontra-se no centro do tórax devendo estar representado em ambos os pés na apófise distal do primeiro Metatarso de cada pé, o esôfago e a traquéia estão na mesma linha "sagital" da coluna vertebral, o útero e a bexiga urinária se sobrepõem na mesma região). 

ü Sendo que a sensibilização dos terminais nervosos dos pés ocorre quando nos movimentamos, é essa a sensibilização que desencadeia a “Manutenção Preventiva”. Portanto, todos os órgãos, para usufruírem deste benefício, devem estar representados na parte plantar dos pés.


 Um dos muitos mapas de Reflexoterapia Podal.

Aguarde o mapa da Sensibilização Podal.


DEFINIÇÃO:

SENSIBILIZAÇÃO PODAL é uma técnica de massagem que atua em terminais “nervosos” dos pés. 

VANTAGENS DA MASSAGEM SENSIBILIZANTE 

Permite que o terapeuta atue em regiões onde outro tipo de massagem não seria possível (órgãos internos, áreas periféricas lesionadas nas quais não podemos colocar as mãos, etc.).  

Concluindo, podemos dizer que a Sensibilização Podal em seu uso natural, consiste num sistema capaz de desencadear uma manutenção preventiva ou corretiva em todos os órgãos do corpo representados pelos terminais nervosos localizados na parte plantar dos pés e sensibilizados ao caminharmos. Sem dúvida, trata-se de um procedimento profilático. 
 
DICAS:

*O aquecimento poderá ser feito com "botinhas" térmicas. (10' antes da sessão).

*O terapeuta poderá ter vários pares de meia e pedir que o paciente vista um antes do aquecimento e da sessão de massagem sensibilizante. (como os terminais nervosos podem ser estimulados por: dor, tato, calor, frio e pressão, a cobertura usada sobre o pé não impede o bom resultado do tratamento.).

*A gravidade do problema estará diretamente relacionada com a sensibilidade. (quanto maior for a sensibilidade maior será o grau de comprometimento da área reflexa).

Obs. O estado crônico de um órgão apresentará pontos correspondentes insensíveis à dor.

*Para a sensibilização dos terminais nervosos dos pés existem diferentes maneiras: alguns preferem trabalhar começando nos dedos e terminando nos calcanhares. Indicamos que se trabalhe por sistemas, todos eles e, após a interpretação não apresentar contraindicações, retornar aos pontos de maior sensibilidade.
*Tempo de uma sessão de sensibilização podal: 30' .

*Freqüência: 2 a 3 vezes por semana.

*Cuidar para não alarmar o paciente. (ao perceber uma área com maior sensibilidade dizer que encontrou “debilidade” na região). Achando conveniente, encaminhar o paciente para o médico.
*Pode-se usar instrumentos de madeira ou outro material para sensibilizar os pontos. (em especial quando se trata área ‘ dura ‘ no pé, como por exemplo, o calcanhar).
*Os cristais de ácido úrico que podem ser encontrados nas áreas de maior sensibilidade são conseqüência (retardo circulatório que possibilita a precipitação ou extremidades frias) e não a causa de problemas podendo, no entanto, alterar a sensibilidade. Por isso um bom pré-aquecimento é indispensável.

Gráfico das Relações entre Sensibilidade e Saúde





 

 

No curso de SENSIBILIZAÇÃO PODAL você recebe qualificação para intervenção em:

Obs. Caso você tenha formação apenas em MASSOTERAPIA em alguns dos procedimentos será necessária a parceria com outro profissional da saúde que, dependendo do tipo da intervenção, poderá ser o médico,  o fisioterapeuta, o educador físico ou o nutricionista.

Avaliação da saúde dos órgãos;

Avaliação do Sistema Urinário;

Avaliação do Sistema Nervoso (Central, Autônomo, Periférico Craniano e Raquidiano);

Avaliação  do Sistema Respiratório;

Avaliação do Sistema Imunológico;

Avaliação do Sistema Digestório;

Avaliação do Sistema Esquelético;

Avaliação do Sistema Glandular Endócrino;

Avaliação do Sistema Genital Masculino e Feminino;

Etc..

Obs. Caso você tenha se identificado como portador de algum dos comprometimentos acima citados, procure um profissional "SOS CORPO - FRANQUEADO" próximo de você. Clique aqui.

 

  Massoterapeuta - DIFEP nº 1956/POA/RS
  Pedagogo
  Fisioterapeuta

Aviso Legal
       Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização, exceto quando citada a fonte - (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do site SOS CORPO, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas relacionados à massoterapia e suas técnicas expressando tão somente o ponto de vista do seu respectivo autor. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico. © Copyright 1998, 1999, 2000, 2001,2002,2003,2004,2005,2006,2007,2008,2009,2010,2011, 2012 – ESCOLA SOS CORPO LTDA. - ME - Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.